Solução na Mídia

Esqueceram de mim

Quando um profissional acha que ficou em segundo plano na empresa, que já não é mais convocado a participar de projetos e reuniões, é esquecido na hora do chopinho com colegas e deixou de receber promoções, é sinal de que chegou a hora de reavaliar a carreira. Independentemente das razões que levaram ao seu isolamento, consultores de recursos humanos são unânimes: é preciso tomar as rédeas da situação e ter iniciativa. O futuro está nas mãos dele, e não nas de colegas ou da chefia.

Psicóloga, professora do MBA da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA) da USP e dos cursos de educação continuada da FGV-SP, Vicky Bloch considera esses sinais um alerta para se começar a realinhar os rumos profissionais. “Muitas vezes, a pessoa se descuidou com a própria carreira. Pode ser que não agregue mais valor à organização. Então, tem que se questionar”, aconselha a professora. Desatualização, postura inadequada e dificuldade de se relacionar podem ser a origem do problema.

Dica para reconhecer mudança de ciclos e abrir o jogo.

Para Vicky – também fundadora da DBM Brasil, consultoria em orientação de carreiras -, é fundamental descobrir o que está errado. E não se deve esperar o momento de a demissão chegar. Esse é o ponto de partida para virar o jogo, mesmo que o preço seja deixar, por iniciativa própria, a empresa.

Na avaliação de Moema Aquino, diretora da Solução Recursos Humanos, toda carreira tem ciclos e há momentos em que os projetos têm relação com determinada pessoa. O problema começa, para alguns, quando se deixa de ser a figura central. “É normal. Há épocas em que o profissional tem que ceder lugar a outro. Mas quem só está preparado para ficar em primeiro plano não lida bem com isso. Começa a culpar a chefia, os colegas, coloca-se na posição de vítima”. Para Moema, essa postura sinaliza estagnação.

Mesmo nos casos em que, de fato, há indícios de implicância ou desprezo por parte dos companheiros de trabalho – a famosa geladeira -, a iniciativa de tentar mudar a situação está nas mãos de quem se sente atingido. “Tem que identificar de onde vem o problema, ir ao departamento pessoal, conversar. Na empresa de grande porte, tentar mudar de setor pode ser boa solução. Se não há saída, vale até mudar de emprego”, avalia João Pedro Caiado, da Human Development Organization.

Ele destaca que abrir o jogo é o melhor caminho e pode disparar falsas impressões: “Em geral, o resultado é sempre positivo para o profissional”.

Avalie sua cotação dentro da empresa

A sua situação atual na empresa é considerada indispensável em todos os momentos:
SIM     ÀS VEZES     NÃO

Você sempre é requisitado a dar sua opinião sobre os acontecimentos?
SIM     ÀS VEZES     NÃO

As reuniões sobre novos projetos são comunicadas a você, mesmo que não seja obrigatória a sua participação?
SIM     ÀS VEZES     NÃO

Quando se pensa em investir no capital intelectual da empresa, você é chamado a participar?
SIM     ÀS VEZES     NÃO

A sua equipe de trabalho o requisita?
SIM     ÀS VEZES     NÃO

Os problemas e resultados da empresa são de seu conhecimento, mesmo sem sua participação direta?
SIM     ÀS VEZES     NÃO

Você se considera integrado à sua equipe, participando das atividades naturalmente?
SIM     ÀS VEZES     NÃO

É solicitado sempre que o grupo se reúne para qualquer tipo de tarefa?
SIM     ÀS VEZES     NÃO

Uma nova tecnologia é apresentada na empresa. Você tomará conhecimento?
SIM     ÀS VEZES     NÃO

Informações importantes são divididas com você?
SIM     ÀS VEZES     NÃO

Faça a contagem e leia as dicas da consultora

Atribua 1 ponto para cada SIM, ÀS VEZES, NÃO. O valor mais alto identificará sua real situação na dinâmica do grupo em que trabalha.

SIM em maior número – Esse é seu momento. Aproveite os ventos a seu favor para agregar conhecimentos e aumentar sua rede de contatos, pois você pode precisar disso no futuro.

ÀS VEZES em maior número – Você está ou crescendo ou perdendo importância na empresa. Esteja atento para tomar atitudes que produzam resultados que contribuam para realização dos projetos.

NÃO em maior número – Pode ser que você Simplesmente esteja em um período de entressafra ou que realmente esteja estagnado. Nas duas situações, tente participar das atividades e observar tudo para definir sua situação. Importante: avalie-se como membro que contribui para o grupo. Reciclagem é sempre saudável.
Este teste foi elaborado pela consultora Moema Aquino,diretora da Solução Recursos Humanos (www.solucaorh.com.br)

Leila Souza Lima
Empregos – O Dia
11/09/2005