Solução na Mídia

Especialistas indicam as carreiras que vão gerar mais vagas este ano

Valéria Maniero

As profissões de 2007

Com a chegada de 2007, é hora de prestar atenção às dicas dos especialistas em mercado de trabalho. Para ajudar aquele que busca uma vaga de emprego, o EXTRA ouviu as consultorias Solução Recursos Humanos, Novezala e Tradição, que apontaram as áreas que devem se destacar esse ano.

Por conta dos jogos Pan-Americanos, os profissionais são unânimes na hora de apontar os ramos de hotelaria, turismo e gastronomia como promissores. Segundo Moema Aquino, da Solução RH, quem tem nível médio pode apostar em funções, como recepcionista, motorista, guia, camareira, barman, cozinheiro, copeiro e garçom.

- Essas profissões que exigem qualificação técnica na área de serviços serão bem aceitas - resume a consultora.

Vocação do Estado do Rio, o setor de petróleo e gás continuará empregando em 2007, assim como a indústria naval, por conta dos grandes investimentos da Petrobrás.

- Nessa área, haverá demanda por profissionais capacitados. Técnicos nas áreas de mecânica, eletrônica, eletrotécnica e soldagem, por exemplo, terão chances. As remunerações são atraentes: vão de mil reais a R$3 mil - explica Robert Barboza, diretor de Recursos Humanos da Novezala.

Segundo ele, outra área que será vedete em 2007 será a de varejo. Por conta da expansão das lojas de departamento e de grandes redes de supermercados, novas vagas para quem tenta o primeiro emprego serão geradas.

Setor de varejo será destaque

O setor de varejo abrirá oportunidades para vendedores, operadores de caixa, repositores e auxiliares, cargos que pagam remuneração de R$450 a R$850, além de comissões. Rafael Fonseca dos Santos, de 18 anos, já garantiu a sua vaga: foi contratado numa loja de roupas.

- Quero aproveitar o salário para conseguir cursar uma faculdade de administração.

Ainda nesse setor, a aposta de Ana Cláudia Britto, gerente da Tradição, é no cargo de promotor de vendas, desempenhado por aquele profissional que tenta convencer o cliente a entrar numa loja para adquirir produtos. Geralmente, trabalham para financeiras, bancos e lojas de departamento.

- Essa função exige nível médio. Os salários, em média, são de R$450 a R$500. A boa notícia é que essa profissão não exige experiência - explica.

A área de cosméticos e beleza também promete. Cabeleireiros, manicures e esteticistas terão vez.

Para todos os setores, quem se qualificar em cursos técnicos já sairá na frente. Instituições como o Senai-RJ e o Senac Rio são algumas das que oferecem treinamento.

OS MOTIVOS

Turismo/hotelaria e gastronomia

Por conta do PAN, esses setores devem abrir oportunidades. Haverá vagas para guias, recepcionistas, motoristas, camareiras, cozinheiros, copeiros e garçons. De acordo com a Solução Recursos Humanos, a remuneração média é de R$700, na área de gastronomia. Quem é bilíngüe, tem nível médio e pretende buscar uma vaga em hotéis poderá ganhar mais: até mil reais.

Petróleo, gás e indústria naval

Grande alavancador da economia fluminense, esse segmento vai continuar em alta. As vagas são para técnicos em soldagem, eletrotécnica, mecânica e outros segmentos. Segundo a consultoria Novezala, a remuneração vai de mil reais a R$3 mil para quem tem nível médio.

Varejo

Este ano, por causa da abertura de novas lojas de departamento e de grandes supermercados, novas vagas para quem tenta o primeiro emprego serão geradas. As chances serão para vendedores, operadores de caixa, repositores de estoque, promotores de vendas e auxiliares. A remuneração vai de R$450 a R$850, mas ainda há comissões.

Beleza

Quem se qualificar para trabalhar como manicure, cabeleireiro ou esteticista terá trabalho garantido em 2007. A dica de especialistas é oferecer serviço diferenciado: em vez de buscar uma vaga em salões, por exemplo, pode atender em casa, em horários mais acessível ao cliente.

Qualificação

Instituições como o Senai-RJ e o Senac Rio oferecem treinamento nas áreas de indústria e serviços.


Jornal Extra - RJ - 02/01/2007