Solução na Mídia

Timidez atrapalha?

Para o mercado de trabalho, timidez não é só uma característica pessoal. É defeito também. Pelo menos é o que dizem empresários, trabalhadores, tímidos ou não, e especialistas da área de recursos humanos. Numa época de competitividade acirrada, repetem-se os casos de vagas perdidas por profissionais que têm dificuldade de expor suas idéias. Há quem perca espaço, inclusive, para colegas menos qualificados tecnicamente, mas com maior facilidade de expressão.

O diretor do Instituto Reinaldo Passadori de Comunicações Verbais, Reinaldo Passadori, trabalha há 15 anos com um público que treme diante de uma platéia, sente aquele friozinho na barriga ao ter que conversar com o chefe e se diz incapaz de defender seus próprios pontos de vista. Passadori conta que não são raros os relatos de alunos que passaram pelo instituto – mais de 12 mil pessoas – sobre a perda de um cargo, por deficiência na fase de entrevista:

- São pessoas altamente qualificadas, muitas vezes com grande preparo técnico, mas sem qualquer articulação verbal. Tudo isso causado pela timidez, que os deixa impotentes diante desse tipo de situação.

Quem já passou por momentos como esse e conseguiu dar a volta por cima ressalta que, em situações específicas, é fundamental não fugir da obrigação de falar. O diretor-presidente da rede de hotéis Luxor, Francisco Grabowsky, evitou o quanto pôde contatos coma imprensa ou situações em que precisasse se expor. A tarefa sempre foi delegada por ele a outras pessoas, até que o empresário começou a se dar conta de que para crescer teria que mudar seus métodos.

Comunicação e preparo técnico em pé de igualdade

- É muito negativa a imagem de um profissional que evita se expor. Principalmente quando esse profissional representa uma classe. É fundamental ser capaz de defender pontos de vista e falar, como porta-voz, em nome de um segmento – diz, hoje, o ex-tímido, acrescentando que, com a prática, foi aprendendo a encarar questões como essas e que atualmente fala em público, sem sentir constrangimento ou medo.

A diretora comercial da Solução Recursos Humanos, Moema Aquino, diz não ter dúvidas sobre as vantagens que um profissional desinibido leva sobre os tímidos. Segundo Moema, entre dois profissionais que tenham o mesmo nível de qualificação e experiência, quem se comunica com maior facilidade acaba sempre saindo na frente:

- Se um candidato se intimida durante uma entrevista, por exemplo, ele não é capaz sequer de mostrar o quanto tem de conhecimento técnico. Se ele não expõe um raciocínio claro, fica difícil analisar o seu potencial e, nesse caso, seu concorrente vai estar em posição vantajosa.

Para Moema, hoje, numa avaliação profissional, o peso da comunicação verbal eficiente está em pé de igualdade com o preparo técnico. São poucos os profissionais, segundo ela, que vão adiante, tomados pela timidez:

- Os profissionais estão assumindo diferentes funções dentro das empresas e têm que se relacionar com um maior número de colegas. Sendo assim, saber se expressar, corretamente e na hora certa, passa a ser uma necessidade básica.

O Globo
2/05/1999